Quinta-feira, 7 de Maio de 2009

D. Patxi Lopez Lehendakari!

 Eram 11H14 da manhã (hora espanhola) deste dia 7 de Maio de 2009. Na Casa das Juntas, em Guernika, um lugar mágico das minhas frequentes peregrinações pessoais por terras de Espanha, presta juramento o novo Lehendakari do País Basco, D. Patxi Lopez Alvarez. Vibrante. Lágrimas. Alívio. Adoro aquelas sonoridades únicas da língua basca, comprei o meu primeiro disco em basco, uma missa, a um militante da ETA, recuado em Paris, em 72 ou 73, quando aqueles nacionalistas eram para mim uns heróis nostálgicos, poetas da terra, sacrificados militantes da liberdade: tinham "limpado o sebo" (assim dizíamos) ao comissário Manzanas, famoso torturador da polícia franquista. E pouco depois haviam de fazer saltar quatro andares o carro do almirante Carrero Blanco, nº dois da Ditadura - ah, as anedotas gostosas a que daria lugar a proeza da ETA.

 

Mudou tudo após a transição. Em vez de tirar partido da democracia para defender as suas ideias, a ETA enquistou-se. Uma das suas militantes mais celebradas, a comandante Yo, salvo erro, defendeu que o tempo da luta armada passara, que a independência do País Basco só se conseguiria um dia, pelo voto popular. Era o que ia tentar na legalidade com todas as forças. Pois "para lhe provar que isso não era possível" mataram-na.

 

Jorge Semprun contou-me, numa longa conversa que tive com ele uma tarde em Lisboa nos finais dos anos 80 (e que relatei no "Semanário" de então) que a liberdade no País Basco soçobrara. Ele próprio fizera a experiência de entrar numa livraria em Bilbau e pedir em voz alta um livro de memórias que a comandante Yo tinha deixado e acabava de ser publicado. Os funcionários da livraria baixavam os olhos, fugiam dele, entraram em pânico.

 

Semprun insistia: um livro, peço um livro, numa livraria, qual é o problema? Voltamos ao domínio dos que gritam "Morte à inteligência!"? Pegaram-lhe pelo braço, arrastaram-no para um reservado, "Senhor, não nos desgrace"...

 

Era o regime do terror, das associações liceais às universidades, das conversas de rua às compras numa livraria. Semprun, aliás Frederico Sanchez, o republicano, o resistente, o sobrevivente do Holocausto, o escritor de denúncia - do nazismo, da ditadura franquista, do estalinismo - diz-me que tanto medo, e cobardia popular, ele nunca vira em Espanha, nem durante os anos mais negros do franquismo.

 

Também eu senti, varias vezes, no País Basco esse ambiente pesado. Era o único sítio de Espanha onde sobre alguns factos o melhor era nem perguntar. Porque governavam os nacionalistas (cúmplices da ETA?), com o apoio do PCE, que está sempre ao lado da "luta dos povos" (no País Basco como na Colômbia). Como o PCP. E ainda mais como o Bloco de Esquerda português, para quem, pelo menos até há uns anos, a ETA mais não fazia do que exercer o seu direito de legítima defesa contra o "terrorismo de Estado" praticado por Madrid

 

Até hoje? "Ce n´est qu'un début..."  Patxi López é o primeiro não nacionalista a chegar a lehendakari, com o apoio do PSOE e do PP nacionais, promete combater o terrorismo, não subsidiar os seus grupos de familiares e amigos, defender a lei, jurou sobre "O Estatuto de Guernica" e não sobre a Bíblia, como faziam os beatos do PNV. Há esperança. Gosto dos bascos. Que foram capazes de sacudir o jugo do medo, o pior dos jugos. 

publicado por JTeles às 10:16
link do post | comentar

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.posts recentes

. O estoiro da boiada está ...

. A lógica de um clérigo mu...

. O vídeo da compra dos vot...

. El golazo de Saviola

. A verdade a que temos dir...

. Fez a Prisa muito bem!

. "Caim": O novo romance de...

. Olho neles!

. Um candeeiro alimentado a...

. Uma zanga a sério entre m...

.arquivos

. Dezembro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

.tags

. todas as tags

. 72 virgens ou 72 uvas ? O...

. Daily Show investiga soci...

. Leituras de domingo

. Que faz o MP? Onde pára o...

. D. Januário envergonhado ...

. A História não se repete ...

. Hannibal ad Portas

. Saramago contra as FARC:...

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds